DIA DO APICULTOR: VALINHENSE DIZ QUE AGROTÓXICOS E URBANIZAÇÃO COLOCAM ABELHAS EM RISCO

Neste domingo, dia 22, é comemorado o Dia do Apicultor, um profissional que, além de criar abelhas, ajuda no resgate de colmeias e na conscientização visando à preservação dos insetos que desempenham um papel fundamental na polinização de flores.

Em homenagem a estes profissionais, o Jornal de Valinhos entrevistou o valinhense Gilson Barduchi, 42 anos, que atua na área desde 2014 e é proprietário do Apiário Canaã (Instagram @canaaabelhas). “Temos apiário hoje no sítio junto à cerâmica [da família Barduchi, no bairro Santa Escolástica], onde criamos abelhas africanizadas que produzem mais mel silvestre, e outro apiário em uma fazenda no Sul de Minas Gerais, onde extraímos o mel silvestre e o mel da laranjeira”, explica ele, que trabalha juntamente com o pai Admar Jurandir Barduchi.

Antes de atuar na área, Gilson fez vários cursos onde aprendeu técnicas especiais para extração do mel, da geleia real e de como aumentar a produção.

Com a capacitação, Gilson consegue ainda ministrar cursos e levar sua paixão pelas abelhas para crianças em sala de aula. “Faço um trabalho de conscientização nas escolas, levo uma caixa vazia para mostrar aos alunos e fotos. Visto-me de apicultor e a gente explica a importância das abelhas na nossa vida”, destaca o apicultor, que ama sua profissão, mas lamenta os impactos dos agrotóxicos na redução dos enxames.

“Temos um desafio muito grande, que é o do agrotóxico. Não adianta Lei. Nós temos que nos conscientizar, pois isso acaba contaminando e matando as abelhas. E o desmatamento, não só na Amazônia, mas no nosso meio, na nossa cidade? Como está a preservação na nossa cidade? Estamos tendo muitos problemas de abelhas indo para as casas, e a gente recebe chamado de remoção. Infelizmente a gente acaba tendo que eliminar alguns enxames”, finaliza Gilson.

\"DIA

Jornal de Valinhos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *